NOVIDADES PUBLICAÇÕES CICS

 

O CICS lançou nestas últimas semanas várias edições. Depois do lançamento dos dois e-book, Tourism and HistoryWorld Heritage – Case Studies of Ibero-American Space, organizado por Cláudia H. N. Henriques (ESGHT/Universidade do Algarve),Maria Cristina Moreira (Universidade do Minho) e Pedro de Alcântara Bittencourt César (Universidade de Caxias do Sul) e  Cultura, diversidade, diferenciação. Um guia elementar, de Manuela Ivone Cunha, saíram mais dois títulos.

Com a chancela da editora Húmus, Manuel Carlos Silva (CICS.NOVA-UMinho) assina o livro Desigualdades de Género – Família, Educação e Trabalho e em co-autoria com Maria Luísa Lima (CIIS-ISCTE), José Manuel Sobral (ICS-UL), Helena Araújo (CIIE-UP) e Fernando Bessa Ribeiro (CICS.NOVA-UMinho)  o livro Desigualdades e Políticas de Género.

 

Imagem2

 

Desigualdades de Género – Família, Educação e Trabalho

Manuel Carlos Silva

Sinopse

Não obstante o relativo avanço em Portugal, em termos legais e políticos, nomeadamente no pós 25 de Abril de 1974, em prol da paridade entre homens e mulheres, diversos estudos (inter)nacionais atestam a persistência de desigualdades de género e formas de violência em contextos laborais (extra)domésticos, na educação e na saúde, no acesso ao trabalho e progresso nas carreiras, nas taxas de liderança, nos valores, nas relações institucionais e de poder.

Partindo duma abordagem pluricausal e plurinível (socio‑estrutural, organizacional‑política e interativa) e combinando de modo crítico os pressupostos interacionistas, weberiano‑marxistas e feministas, o poder da mulher varia em função do grau de disposição sobre recursos e recompensas, da presença/ausência de hierarquização de papéis sexuais na divisão do trabalho, do lugar ocupado na organização da empresa/instituição e na esfera (re)produtiva da unidade familiar, nas interacções e negociações de papéis, implicando esta abordagem de síntese uma base fecunda para as recentes teorias da interseccionalidade na articulação dos conceitos de género, classe, etnia, nacionalidade, idade, orientação sexual, entre outras.

O livro, tendo por base dois novos capítulos além de diversos artigos e capítulos de livro já publicados no quadro do projecto de investigação sobre Desigualdades de Género em Portugal continental, assenta numa estratégia de pesquisa de teor quantitativo (inquérito) e qualitativo (entrevistas semidiretivas). Para além da introdução, é fornecido (i) um enquadramento teórico sobre as desigualdades de género; (ii) um retrato socio‑demográfico dos inquiridos por sexo, idade, escalão etário, estado civil e escolaridade, assim como suas fontes de rendimento e (auto)(re)classificações nas diversas fases de vida; (iii) o casamento e quadro de motivações, regime de bens e recursos por cônjuge, dinâmica comunicativa, tipo e grau de organização e poder doméstico, cruzando as dimensões de emoção/afecto/amor e interesse; (iv) a desigual divisão sexual do trabalho e respectivo tempo por sexo nas tarefas domésticas e de cuidado com os filhos e demais dependentes, assim como eventuais discrepâncias entre representações e práticas; (v) o trabalho extradoméstico por género e profissões, tendo por pano de fundo o problema da reprodução e/ou mobilidade social; (vi) percursos, condições laborais e discriminações salariais, chefias e tipos de vínculos, representações e atitudes dos trabalhadores por sexo; (vii) género e concepção multidimensional de classe, estilos de vida e valores. Por fim, são apresentadas algumas conclusões e recomendações em função de estratégia em favor da paridade e igualdade de género.

 

Imagem1

 

Desigualdades e Políticas de Género

Manuel Carlos Silva, Maria Luísa Lima, José Manuel Sobral

Helena Araújo,  Fernando Bessa Ribeiro (organizadores)

Sinopse

Este livro, produto de um colóquio internacional sobre Desigualdades e Políticas de Género realizado na Universidade do Minho em 2011, incorpora contributos de diversas/os cientistas sociais e apresenta resultados de um projeto de pesquisa financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

A publicação encontra -se dividida em duas partes. Iniciando a primeira com um capítulo de introdução e enquadramento da temática e da metodologia seguida na investigação, seguem-se os contributos de investigadoras convidadas, consubstanciados em capítulos ora de enfoque mais teórico, atendendo aos diversos paradigmas que permeiam as desigualdades de género (cap. II), ora em pesquisas centradas no espaço doméstico/familiar em Espanha e Portugal (cap. III e IV). Inclui -se ainda nesta parte o mapeamento, com base em estatísticas oficiais, da problemática do (des)emprego e correlativas dinâmicas em Portugal e na União Europeia na perspectiva de género (cap. V), bem como dos constrangimentos e potencialidades do empreendedorismo por parte de mulheres diplomadas na transição para a vida ativa (cap. VI).

Na segunda parte vertem -se resultados da pesquisa, baseada na inquirição de 802 indivíduos. Primeiramente procede -se à caraterização sociodemográfica dos inquiridos/as, com ênfase na composição dos agregados e níveis de escolarização por sexo (cap. VII); segue -se uma análise dos estereótipos e formas de sexismo – hostil e benevolente (Cap. VIII); e, por fim, dos valores religiosos e políticos e sua relação com as dimensões do género e classe social (Cap. IX).

Os dois últimos capítulos, centrados nas dinâmicas pós-conjugais, desenvolvem -se com base numa subamostra de inquiridos divorciados/as associada à análise de processos judiciais de divórcio (cap. X) e em entrevistas com magistrados/as e homens e mulheres (pais e mães), dando -se conta das negociações e vivências que permeiam tais processos, inclusive ao nível da regulação das responsabilidades parentais (cap. XI).

Comments are closed

Sorry, but you cannot leave a comment for this post.